A literatura sou eu e você também

Claude Monet (1840 - 1926) - A Ponte em Argenteuil 1874 - Óleo em Tela - Musée d'Orsay, Paris, França.

Não tenho muito jeito para textos confessionais, mesmo sabendo que a grande validação dos blogs está justamente no caráter pessoal que provoca a identificação com o leitor. A literatura, de uma forma geral, é tanto mais representativa e verdadeira quanto for a coragem do autor em expor as suas verdades, sejam elas quais forem.

A literatura sou eu
(por Kovacs)

Onde está a literatura
Que os grandes autores procuram
Alguém fala na vida, outro na morte
Quanta bobagem
Se ninguém entende a vida
Que dirá a morte

Me falta a coragem
De encontrar a verdade
Que certamente não é bela
E nem sempre poética
E pode até ser ridícula
Já ensinou o poeta
Que era a própria arte (em Pessoa)

O medo e a vergonha escondem a obra
Que já começa falsa
E não demora logo acaba
Quando se busca nos outros
Sem encontrar
O que está escondido
Em nós

E agora, o que fazer?
Só sabemos mentir
Quem me ensina a ver
Bem longe
Dentro de mim

24 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Os melhores conselhos para conviver com uma pessoa fanática por livros

Os meninos da rua Paulo - Ferenc Molnár

João Gilberto Noll (1946-2017)

As 20 melhores distopias da literatura

As estranhas flores de Georgia O’Keeffe

20 sites para baixar livros legalmente e de graça