quarta-feira, janeiro 13, 2010

Radiohead - No Surprises

Já não é a primeira vez que falo sobre o Radiohead por aqui e, principalmente, sobre "OK Computer" que é um album com arranjos que sempre apresentam alguma novidade mesmo depois de várias audições. "No Surprises" (link para o vídeo original com Thom Yorke se afogando) é uma composição viciante e menos "badalada" do que as consagradas "Karma Police" e "Paranoid Android", mas que consegue transmitir uma parte da infinita melancolia de Thom Yorke e também do homem moderno, solitário e sem esperanças.

As letras completas do Radiohead, por album, podem ser encontradas no endereço: "green plastic" e traduções estão disponíveis em vários sites, esta aqui é razoável. A versão abaixo é uma apresentação ao vivo no Festival de Glastonbury, 2003.

No Surprises
(Radiohead OK Computer 1997)

A heart that's full up like a landfill,
a job that slowly kills you,
bruises that won't heal.
You look so tired-unhappy,
bring down the government,
they don't, they don't speak for us.
I'll take a quiet life,
a handshake of carbon monoxide,

with no alarms and no surprises,
no alarms and no surprises,
no alarms and no surprises,
Silent silence.

This is my final fit,
my final bellyache,

with no alarms and no surprises,
no alarms and no surprises,
no alarms and no surprises please.

Such a pretty house
and such a pretty garden.

No alarms and no surprises,
no alarms and no surprises,
no alarms and no surprises please.


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
>