sábado, maio 01, 2010

Julio Cortázar - Contos Completos


Julio Cortázar - Cuentos Completos - Editora Punto de Lectura Argentina S. A. - Introdução de Mario Vargas Llosa - 03 volumes, 1597 páginas.

Uma Antologia que tive dificuldade de encontrar completa na própria Argentina, absurdo que também acontece por aqui com nossos autores clássicos nacionais e nas melhores casas do ramo. Até mesmo na livraria Ateneu, uma das mais belas do mundo (ver aqui postagem do Mundo de K) não consegui encontrar mais do que um volume de Cortázar, fato que o vendedor constrangido não soube explicar muito bem, tendo como único argumento a grande procura do público por este autor o que explicaria a queda no estoque (justamente esta demanda que, ao meu ver, deveria justificar as prateleiras estarem repletas de volumes de Cortázar e não o contrário). A divisão dos trabalhos originais seguiu a seguinte distribuição:

Volume 1: "La otra orilla (1945)", "Bestiario (1951)", "Las armas secretas (1959)", "Final del juego (1956)";

Volume 2: "Historias de cronopios y de famas (1962)", "Todos los fuegos el fuego (1966)", "Último round (1969)", "Octaedro (1974)", "Alguiem que anda por ahí (1977)";

Volume 3: "Un tal Lucas (1979)", "Queremos tanto a Glenda (1980)", "Deshoras (1982)".

Escritor que sempre foi um estrangeiro no mundo, Julio Cortázar (1914 - 1984) nasceu na embaixada da Argentina em Bruxelas, Bélgica, voltando à Argentina com quatro anos de idade e se mudando definitivamente para a França com 37 anos devido a problemas políticos. Os seus contos são muitas vezes autobiográficos remetendo à vida em Paris ou à sua amada Buenos Aires. No meu entender entre os três maiores escritores argentinos de todos os tempos e que já fazem parte da cultura universal: Borges, Sábato e Cortázar, este último se destaca pela abordagem psicológica mais completa de seus personagens e também pelo bom humor.

A leitura de todos os contos em uma sequência cronológica destaca o amadurecimento do autor e o foco cada vez mais humano de sua literatura, que passa a ser menos fantástica e mais psicológica e confessional com o passar do tempo. Outro fator importante é a leitura em sua língua original, apesar das boas traduções disponíveis em português e das minhas dificuldades com o espanhol, foi uma experiência única. Ler Cortázar sem atravessadores é uma experiência que recomendo para todos os amigos. Não é tão difícil assim como poderão constatar no trecho abaixo:

"Y después de hacer todo lo que hacen, se levantan, se bañan, se entalcan, se perfuman, se peinan, se visten, y así progresivamente van volviendo a ser lo que no son" (Amor 77 - Un tal Lucas).

Um dos livros mais conhecidos de Cortázar, Histórias de Cronopios e de Famas, representa através da fantasia as diferentes condições humanas seja com os simpáticos Cronópios, seres poéticos que choram e cantam, nas Famas, organizadas e racionais e finalmente nas preguiçosas Esperanças, qualquer semelhança não é mera coincidência.

Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails