Leonard Cohen - A brincadeira favorita

Leonard Cohen - A Brincadeira Favorita - Editora Cosac Naify - 248 páginas - Tradução de Alexandre Barbosa de Souza - Orelha de Daniel Galera - Lançamento março/2012.

O escritor, poeta e compositor canadense Leonard Cohen é mais conhecido por suas canções de estilo folk-rock como Hallelujah de 1984, imortalizada na interpetação de Jeff Buckley (1966 - 1997) no Álbum Grace de 1994, assim como outros exemplos da conexão entre música e literatura como Bob Dylan, Patti Smith e Tom Waits. Leonard Cohen só foi definitivamente consagrado pelo seu trabalho na área de letras ao ganhar o prêmio Príncipe de Astúrias de Literatura em 2011.

O romance A brincadeira favorita foi lançado originalmente em 1963, quando Cohen, aos 29 anos, já havia publicado dois livros de poesia – Let Us Compare Mythologies (1956) e The spice-box of Earth (1961). A brincadeira favorita é um romance de formação que narra a história de Lawrence Breavman, alterego de Cohen, desde a sua infância em Montreal no final dos anos 40 até atingir a maturidade em Nova York. Os eventos principais de sua biografia são norteados pelos relacionamentos com várias namoradas, conversas com seu amigo Krantz, poesia e música, a morte do pai e o processo de decadência mental da mãe.

O que mais chama a atenção neste romance é o estilo único de Cohen, dono de um lirismo contundente que transborda em poesia pura à partir de suas frases curtas e fragmentadas: "Crianças exibem suas cicatrizes como medalhas. Amantes as usam como segredos a serem revelados. Uma cicatriz é o que acontece quando a palavra se faz carne. É fácil exibir uma ferida, as orgulhosas cicatrizes de guerra. O difícil é ter espinhas."
4 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

20 citações de escritores sobre a arte de escrever

Monólogo de Molly Bloom em Ulysses, "sim eu disse sim eu quero Sim"

20 personagens femininas da literatura mundial

20 problemas que somente os apaixonados por livros podem entender

Ian McEwan - Enclausurado

As 20 melhores distopias da literatura