segunda-feira, janeiro 14, 2013

Haruki Murakami - 1Q84

Haruki Murakami - 1Q84 (Livro 1) - 432 páginas - Editora Objetiva, Selo Alfaguara - Tradução direta do japonês de Lica Hashimoto - Lançamento no Brasil 2012 (lançamento original no Japão em 2009). Ler aqui trecho em pdf disponibilizado pela editora.

Murakami acertou em cheio com esta trilogia 1Q84, um verdadeiro evento no mundo editorial, tendo já ultrapassado 4 milhões de exemplares vendidos no Japão, e um golpe de mestre de um dos maiores autores contemporâneos. O romance completo é extremamente ambicioso, tanto pela sua extensão de mil páginas quanto pela liberdade de estilo. Aqui no Brasil a decisão da editora foi respeitar o formato da publicação original japonesa em três volumes (o segundo volume será lançado em março de 2013 e o terceiro ainda está sendo traduzido, sem data prevista de lançamento), diferente da tradução americana da editora Knopf que lançou todos os volumes em um único calhamaço. Este "Livro 1" dispara em alta velocidade narrativa, ritmo cinematográfico mesmo, misturando literatura policial noir com muito suspense e ficção científica, como sempre repleto de referências culturais ocidentais e orientais, estratégia que Murakami sempre conduziu muito bem em todos os seus livros anteriores que o fazem um candidato permanente ao Nobel de literatura todos os anos.

Os dois protagonistas conquistam o leitor logo de início, tanto a misteriosa assassina de aluguel chamada Aomame (ervilha verde) quanto o professor de matemática e aspirante a escritor,  Tengo, conduzem a trama em uma sequência de capítulos intercalados que avançam em paralelo e revelam aos poucos a relação dos dois que tem origem em uma antiga paixão infantil. Ambos vivem em Tóquio e têm por volta de trinta anos em 1984, ano em que se passa a parte principal da narrativa em uma referência ao famoso romance de George Orwel. Aomame e Tengo são igualmente solitários e resolvem o problema do sexo com relações sem amor, ela com homens que encontra em bares e ele mantendo um caso com uma mulher mais velha e casada. Separados desde crianças, o destino dos dois vai se aproximando à medida que o romance progride (o próprio Murakami resumiu absurdamente o motivo do livro com a seguinte frase: "um garoto encontra uma garota, eles se separam e buscam um ao outro").

Aomame ganha a vida como professora de artes marciais para mulheres se defenderem de ataques mas, nas horas vagas, presta serviços para uma estranha organização que protege mulheres agredidas sexualmente em seus lares por maridos cruéis (talvez uma crítica ao machismo da sociedade japonesa), providenciando a "eliminação" dos homens agressores. Aos poucos, através de imperceptíveis desvios da história, ela descobre que está vivendo em um mundo paralelo com duas luas que decide chamar de 1Q84, com a letra Q de "Question mark"; um quê de dúvida, de interrogação. A cultura japonesa da disciplina e autocontrole está sempre permeada pelos personagens, mesmo nas situações mais absurdas. Aomame, por exemplo, domina uma técnica singular para matar, perfurando uma agulha em um ponto preciso da nuca de suas vítimas e provocando a morte instantânea, sem evidência de sangue, o que caracteriza a morte como um ataque cardíaco.

Tengo também é extremamente disciplinado, domina a técnica de escritor, mas ainda não conseguiu escrever um romance original quando recebe uma proposta do editor de uma famosa revista literária para reescrever o romance "A crisálida de ar" de uma bela e enigmática jovem escritora de dezessete anos (disléxica) que, apesar de brilhante e original nas ideias, carece justamente de um texto organizado. Tengo se apaixona pelo livro e decide assumir a empreitada, ciente dos riscos para a sua futura carreira literária. Esta escritora é, na verdade, fugitiva de uma perigosa seita religiosa chamada Sakigake e a notoriedade trazida pelo romance será uma ameaça a todos.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
>