terça-feira, maio 14, 2013

Guille Thomazi - Gado Novo

Guille Thomazi - Gado Novo - 66 páginas - Editora 7Letras - Lançamento: Maio 2013.

É surpreendente a personalidade do jovem autor catarinense Guille Thomazi neste seu romance de estreia em que conduz a polifonia narrativa com segurança de escritor maduro, alternando diferentes pontos de vista dos personagens sem nome, sempre com frases cortantes em primeira pessoa e representando assim a solidão e desamparo do homem frente à natureza exuberante e hostil das fazendas do interior do Mato Grosso. 

Cada capítulo apresenta uma chave para a solução do assassinato, com requintes de crueldade, da menina Isabel e o entendimento completo do ocorrido o leitor só consegue ao final do romance que poderia ser classificado também como uma novela, devido à curta extensão e que justamente acaba amplificando o efeito devastador, como bem destacado pelo texto de divulgação da editora: "curto e potente como um tiro de revólver, como um coice". Bom exemplo da tensão narrativa encontramos também nas reflexões do assassino, descritas logo no primeiro capítulo:
"Preciso voltar. Preciso convencê-la da minha mentira. Preciso mentir, inventar, tornar verdade. Preciso de água. Não existe água. Tudo é seco. Falta um mês pra chuva. O vento levanta do chão a poeira, fina como talco, e traz pra mim. A menina sumiu. Foi imaginação. Não foi imaginação. Há sangue seco no pasto. Não existe onça nessa história."
Vale ressaltar que a relação entre homem e natureza na literatura nacional não é um tema de fácil desenvolvimento devido ao desafio de encontrar caminhos originais, diferentes da tradição verdadeiramente intransponível de nomes como Euclides da Cunha, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa. Talvez este desafio tenha direcionado a nossa literatura contemporânea para um ambiente essencialmente urbano, mas Guille Thomazi não se deixou intimidar por essa dificuldade e acabou escrevendo um belo livro.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
>