terça-feira, setembro 08, 2015

Ukiyo-e, a beleza do mundo flutuante

Utagawa Kunisada (1786 - 1865) 
O sistema de produção das tradicionais gravuras japonesas, conhecidas como ukiyo-e (imagens do mundo flutuante em tradução literal), tem como base a técnica da xilogravura que consiste em gravar blocos de madeira para gerar múltiplas impressões. Este tipo de expressão artística é muito representativo da cultura japonesa e obteve maior desenvolvimento e interesse popular durante o período Edo (1603 - 1868) com o surgimento de uma burguesia consumidora de temas como: atores do teatro kabuki, lutadores de sumô, paisagens da natureza e, principalmente, o ideal de beleza feminina, através de cortesãs reais e geishas, algumas vezes erotizadas. A imagem acima, de Utagawa Kunisada (1786 - 1865), apresenta o processo de criação das estampas em suas diferentes etapas, ver imagem original no site do Museu Britânico clicando aqui.

Toshusai Sharaku (? - 1795) e Kitagawa Utamaro (1753 - 1806)
Acima, a imagem da esquerda é a representação do ator de teatro kabuki Otani Onjii II, criação de Toshusai Sharaku em 1794, disponível no site do Metropolitan Museum e, na imagem da direita, um trabalho de Kitagawa Utamaro (1753 - 1806), disponível no acervo da Biblioteca do Congresso americano, também com um patrimônio considerável de imagens sobre o assunto. Outro site muito importante para a pesquisa de imagens é o ukiyo-e.org (japanese woodblock print search) que disponibiliza um banco de dados com mais de 200.000 imagens de obras de diversos museus, universidades e bibliotecas (clique aqui para a relação completa). O sistema de classificação é dividido por períodos e artistas mais importantes.

Utagawa Kuniyoshi (1797 - 1861)
Nem sempre os temas explorados pelos artistas da época eram relacionados ao ambiente urbano ou a paisagens da natureza, muitas vezes visões fantásticas do folclore japonês ou histórias de fantasmas (kaidan) eram representadas nas gravuras, exemplo é a imagem acima de Utagawa Kuniyoshi (1797 - 1861), disponível no site do Museu Britânico. Esta obra mostra uma passagem de uma lenda japonesa do século X, quando a princesa Takiyasha, sobrevivente de uma rebelião liderada pelo seu pai contra o imperador, recebe os dois oficiais representantes do Shogun recitando um feitiço em que convoca um esqueleto gigante para salvá-la.

A grande onda de Kanagawa de Katsushika Hokusai (1760 - 1849)
Um dos trabalhos mais bonitos e conhecidos em todo o mundo desse gênero é "A grande onda de Kanagawa" de Katsushika Hokusai (1760 - 1849) que tem a natureza como tema, símbolo da relação do Japão com o mar e a primeira de uma série de trinta e seis vistas do monte Fuji. Na imagem podemos ver barcos de pescadores tentando sobreviver a ondas gigantes na provincia de Kanagawa, o monte Fuji aparece no fundo da composição, praticamente como um elemento secundário diante da violência da onda ameaçadora em primeiro plano. Para ver algumas cópias desta estampa no site do Museu Britânico, com recursos de zoom de alta definição, clique aqui.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
>