William Butler Yeats

Poesia em língua inglesaUltimamente, por uma série de associações, os temas por aqui têm estado mais para o "mundo de lá" do que o "mundo de cá".

Enfim, uma coisa leva a outra e chegamos a este belíssimo poema do irlandês William Butler Yeats (1865-1939), prêmio Nobel de Literatura de 1923, um dos poetas mais influentes da literatura moderna inglesa no século XX.

O poema abaixo é parte integrante do volume de traduções de Péricles Eugênio da Silva Ramos, "Poemas de W. B. Yeats", Editora Art, 1987 e tem como base o original: "The Poems - W. B. Yeats", editado por Richard J. Finneran, Macmillan, Londres, 1984.



Death
(William Butler Yeats)

Nor dread nor hope attend
A dying animal;
A man awaits his end
Dreading and hoping all;
Many times he died,
Many times rose again.
A great man in his pride
Confronting murderous men
Casts derision upon
Supersession of breath;
He knows death to the bone -
Man has created death.


Morte
(Tradução de Péricles Eugênio da Silva Ramos)

Medo não tem, nem esperança,
Um animal a agonizar:
Aguarda um homem o seu fim,
Tudo a temer, tudo a esperar;
Já muitas vezes morreu ele,
As muitas vezes retornando.
Em seu orgulho, um grande homem,
Homens que matam enfrentando,
Sobre a substituição da vida
Atira um menosprezo forte;
Sabe ele a morte até os ossos
- Foi o homem quem criou a morte.


Cada sentença é econômica, essencial, precisa e definitiva: "Many times he died, many times rose again", quem não morreu algumas vezes e renasceu outras tantas. Concluindo, o que devemos temer se o próprio homem inventou a morte.
6 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

Tianjin Binhai Library, a mais nova biblioteca da China

Fernando Morais - Corações Sujos

Jesmyn Ward vencedora do National Book Award 2017

As 20 melhores distopias da literatura

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

As 20 obras mais importantes da literatura francesa