Boris Vian - Vou Cuspir no Seu Túmulo

Literatura francesaBoris Vian - Vou Cuspir no Seu Túmulo - Editora Nova Fronteira - 175 páginas - Publicação 1986 - Tradução de Onézio Paiva (fora de catálogo).

O performático existencialista francês Boris Vian (1920-1959), em sua curta, mas produtiva vida, foi escritor, dramaturgo, ator, crítico, músico de jazz e engenheiro, sendo mais conhecido no Brasil pelos seus romances L’écume des jours (A Espuma dos Dias) e J’irai cracher sur vos tombes (Vou Cuspir no Seu Túmulo). Sua arte, sempre de vanguarda, foi muito influenciada pela cultura americana, como é o caso deste romance que segue a linha noir de Raymond Chandler e Dashiel Hammet.

Em 1946, Boris Vian conversava com o editor Jean d´Halluin, quando ouviu deste o seguinte desabafo: "Ah! Se eu pudesse descobrir um best-seller americano!". Imediatamente Vian aceitou o desafio e, durante os quinze dias de suas férias, escreveu um romance carregado de erotismo, violência e racismo. O autor inventado deste romance foi Vernon Sullivan, sendo Boris Vian indicado apenas como "tradutor", mas nem por isso escapou à censura do livro e um processo judicial por infringir os bons costumes e a moral, sendo descartado pela crítica literária como uma cópia de autores americanos, principalmente de Henry Miller. O livro foi interditado e condenado pela justiça com uma multa de 100.000 francos para Boris Vian, mas circulou clandestinamente e trouxe uma fama ainda maior para o autor.

O tema central é a busca de vingança do absurdo personagem Lee Anderson que tem sangue negro, mas pele clara e cabelo louro, pelo assassinato de seu irmão mais novo por ter feito sexo com uma mulher branca. Para alcançar seu objetivo, Lee Anderson se emprega em uma livraria na pacata cidade de Buckton, enquanto se envolve com duas irmãs da alta sociedade preconceituosa local em uma sórdida relação de sexo e violência que acabará de forma trágica para todos. O próprio Boris Vian também, de certa forma, foi vítima desta história, pois morreu antes de completar quarenta anos, após um ataque cardíaco, quando assistia a uma adaptação cinematográfica deste livro.
6 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

20 frases que mostram como o xadrez não é um jogo

As 20 melhores distopias da literatura

As 20 capas de discos que marcaram época

Exposição World Press Photo 2017 no Rio de Janeiro

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

Sheyla Smanioto - Desesterro