Quando o corpo pede um pouco mais de alma

Algumas poucas vezes descobrimos músicas que foram compostas de maneira a acomodar letra e melodia de forma inseparável. Em ocasiões ainda mais raras nos identificamos por algum motivo e a música passa a ser nossa amiga, companheira das horas difíceis. É o caso de "Paciência" de Lenine que dispensa arranjo, banda e cenário. Só voz e violão são suficientes para lembrarmos como a vida é tão rara.

Paciência
(Lenine e Dudu Falcão)

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára...
Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...
Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...
O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...
Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não...
Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara
A vida não pára não...
A vida não pára...
A vida é tão rara...
24 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

20 hábitos pouco educados de leitores compulsivos

Natalia Ginzburg - Léxico familiar

As 20 melhores distopias da literatura

Cidades que se tornaram personagens na literatura

Simone de Beauvoir - A Mulher Desiludida