Dicionário Analógico

Lexikon Editora Digital
Dicionário analógico da língua portuguesa - Francisco Ferreira dos Santos Azevedo - Lexikon Editora Digital, 763 páginas - 2º edição atualizada e revista, 2010 (1º edição 1950)

Fiquei sabendo do lançamento deste livro através dos blogs linha de pesca e Terapia Zero, mas é bom chamar a atenção logo de início que este não é um dicionário comum, por mais respeito e admiração que eu tenha pelos dicionários tradicionais. Em um dicionário analógico o conceito é exatamente oposto ao de um dicionário convencional no qual se buscam significados e informações sobre palavras conhecidas. Neste analógico, segundo informações da editora, temos noção de um significado, temos uma intenção de uso, mas não nos ocorre uma palavra satisfatória e, encontramos uma nuvem de palavras em torno deste significado, ou seja, palavras análogas num maior ou menor grau de proximidade e exatidão, para que nessa nuvem possamos achar a palavra - ou expressão - que melhor nos convém, em qualquer de suas mais prováveis funções gramaticais.

Para facilitar o entendimento vou apresentar o exemplo que a Clara Lopez utilizou lá no blog linha de pesca e que me conquistou de imediato. Vejam só que amarelo mais belo e rico em possibilidades o dicionário analógico recriou:

Amarelo, lourejo, amarelidão, amarelidez, cor baça, cor de mel, açafroamento, almécega, goma, guta, creme, açafrão, açaflor = croco, limão, cádmio, enxofre, topázio, âmbar, cidra, alambre, carabé (ant.), jenolim, jalde, macicote, gema, ouro, plaquê, laranja, ocra, ocre, icterícia, hepatite, xantopsia, ocrósia, xantocromia, xanteloma, xantelasma, xantoma, xanto, xantose, xanteína, cor de doninha.

Esta nova edição, lançada sessenta anos depois da edição original e que já era considerada uma raridade no mercado, acrescentou termos e expressões mais modernas que totalizam 100 mil registros, trazendo um índice geral com todas as palavras citadas. A busca pode ser feita também por uma árvore classificatória de grupos analógicos, mas pelo índice geral é bem mais fácil para iniciantes. A editora Lexikon tem a intenção de lançar brevemente uma versão online do Dicionário Analógico, que poderá ser consultada gratuitamente e receber colaborações de leitores.

Finalmente recomendo uma visita ao site promocional da editora, onde foram disponibilizadas algumas páginas de exemplo e um prefácio de Chico Buarque de Holanda no estilo de "a maleta do meu pai" de Orhan Pamuk, imperdível (basta clicar na imagem inicial da postagem).
24 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 melhores distopias da literatura

Paul Celan e o poema hermético

A arte de escrever crônicas

Longlist do Man Booker Prize 2017

O Idiota - Fiódor Dostoiévski

20 personagens femininas da literatura mundial