Prêmio São Paulo de Literatura 2010

Prêmios literários
Dois romances da Editora Record foram vencedores da terceira edição do Prêmio São Paulo de Literatura, versão 2010: Raimundo Carrero, com "A minha alma é irmã de Deus", na categoria melhor Livro do Ano; e Edney Silvestre com "Se eu fechar os olhos agora", na categoria o Melhor Livro do Ano de autor estreante. Os autores foram escolhidos entre 217 obras inscritas e ambos receberão a maior premiação literária do Brasil atualmente, no valor de 200 mil reais.

O romance de Raimundo Carrero, segundo sinopse da Record, conta a história de Camila, uma jovem solitária que, numa tarde de domingo, no Recife, conhece o pastor e músico Leonardo. Ele faz parte da seita “Os soldados da Pátria por Cristo”. Com o pastor, Camila parte para uma vida de aventuras, pregando valores que grande parte da sociedade brasileira desvaloriza: como religião, moral e ética. Já o livro de Edney Silvestre é ambientado em uma pequena cidade da antiga zona do café fluminense, em abril de 1961, onde dois meninos de 12 anos encontram o corpo de uma linda mulher, que foi morta e mutilada, às margens de um lago. Eles não aceitam a explicação oficial do crime, segundo a qual o culpado seria o marido, o dentista da cidadezinha, motivado por ciúme.

Segue abaixo a relação dos dez finalistas de cada categoria que concorreram este ano ao Prêmio São Paulo de Literatura, organizado pela Secretaria de Estado da Cultura:

Melhor livro do ano:
Bernardo Carvalho, “O filho da mãe” (Cia. das Letras)
Chico Buarque, “Leite derramado” (Cia. das Letras)
João Ubaldo Ribeiro, “O albatroz azul” (Nova Fronteira)
Luiz Ruffato, “Estive em Lisboa e lembrei de você” (Cia. das Letras)
Ondjaki, “AvóDezanove e o Segredo dos soviéticos” (Cia. das Letras)
Paulo Rodrigues, “As vozes do sótão” (Cosac Naify)
Raimundo Carrero, “A minha alma é irmã de Deus” (Record)
Reinaldo Moraes, “Pornopopeia” (Objetiva)
Ricardo Lísias, “O livro dos mandarins” (Alfaguara)
Rodrigo Lacerda, “Outra vida” (Alfaguara)

Melhor Livro do Ano - Autor Estreante:
Brisa Paim Duarte, “A morte de Paula D.” (Edufal - Alagoas)
Carlos de B. e Mello, “A passagem tensa dos corpos” (Cia. das Letras)
Carol Bensimon, “Sinuca embaixo d’água” (Cia. das Letras)
Cíntia Lacroix, “Sanga menor” (Dublinense)
Claudia Lage, “Mundos de Eufrásia” (Record)
Edney Silvestre, “Se eu fechar os olhos agora” (Record)
Ivana Arruda Leite, “Hotel Novo Mundo” (Editora 34)
Ivone Castilho Benedetti, “Immaculada” (WMF Martins Fontes)
Lívia Sganzerla Jappe, “Cisão” (7 Letras)
Maria Carolina Maia, “Ciranda de nós” (Grua Livros)
8 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

20 frases que mostram como o xadrez não é um jogo

As 20 melhores distopias da literatura

Paul Auster avança para a shortlist do Man Booker Prize 2017

As 20 capas de discos que marcaram época

As 20 obras mais importantes da literatura brasileira

Sheyla Smanioto - Desesterro